sexta-feira, abril 28, 2017

As "Descobertas" do Grupo Artis


É já amanhã, às 16 horas, que será inaugurada a exposição colectiva de artes plásticas do Grupo "Artis", o conjunto de alunos do nosso associado e dirigente D'Souza, na Universidade Dom Sancho I, em que uma boa parte já fazem parte da SCALA.

A exposição poderá ser visitada até ao dia 12 de Maio, no horário normal de funcionamento da Sede da SCALA.

quinta-feira, abril 27, 2017

"Olha a Liberdade!" - As 25 Obras Expostas (5)


Terminamos hoje a apresentação de todas as obras dos 25 Artistas Scalanos que participaram na exposição, "Olha a Liberdade!", gratos a todos eles e também aos nossos poetas e escritores.

terça-feira, abril 25, 2017

"Olha a Liberdade!" - As 25 Obras Expostas (4) - com texto de Manuel Delgado


Dia Memorável

Estamos habituados a que a Primavera nos brinde com muitas e lindas flores.
Mas naquele ano de 1974 e no dia 25 de Abril, a Primavera brindou-nos com algo de novo.
Deu-nos a liberdade, para alegria do povo,
esse dia cortou-nos as amarras de um passado tortuoso.
Esse dia inesquecível, para os portugueses, mudou tudo na nossa vida e fez com que hoje possamos escrever e falar sem receio. Tudo isto não seria possível se não fosse a coragem e união
dos Capitães de Abril e todos os intervenientes. Foi graças a esses bravos e valentes homens que nós hoje podemos viver em liberdade e democracia,
falar sem receio de estarmos a ser escutados e viajar sem sermos seguidos.
Foram esses heróis que exigiram a rendição do governo sem dispararem um único tiro e por isso ficou conhecida como a Revolução dos Cravos.
E nós portugueses temos a obrigação de lhes prestar homenagem, para que sejam sempre recordados. Obrigado Capitães!


Manuel Delgado

domingo, abril 23, 2017

"Olha a Liberdade!" a Passar pela SCALA


Ontem a SCALA festejou Abril com Cultura, Convívio, Amizade e Alegria, com velhos e novos amigos que encheram a nossa casa (temos mesmo de comprar mais cadeiras...) e declamaram muita poesia com e em liberdade. Houve menos canções do que se poderia esperar, mas mesmo assim a Amélia recordou o Zeca com a sua bonita voz e conseguiu que quase toda a gente cantasse num coro sem afinações, como se quer nas festas.


O folheto que foi distribuído, com 25 quadros e 25 poemas e textos em liberdade, foi quase todo lido (o Aníbal, o Luís e Alzira homenagearam alguns dos ausentes...), para gáudio da assistência.

E no final a sede voltou a ser galeria, foi possível ver os 26 quadros (apareceu mais um à última hora para festejar a Liberdade...) com mais atenção, sentir o significado da liberdade em cada uma das pinturas, fotografias ou desenhos.


E o Gabriel resolveu dar-nos música com o seu órgão, o que foi aproveitado para algumas amigas mais divertidas ensaiarem um pé de dança.

(Fotografias de Luís Eme)

sexta-feira, abril 21, 2017

"Olha a Liberdade!" - As 25 Obras Expostas (3) - com texto de Ermelinda Toscano


Serei eu livre? Ou mera prisioneira?

Sentir a liberdade é acreditar numa ilusão?
Se a minha liberdade acaba onde começa a tua, afinal são grades o que avisto no horizonte! Sinto-me presa numa gaiola de vidro que me mostra o infinito mas, todavia, não me deixa voar.
Serei eu livre? Ou mera prisioneira?»

Ermelinda Toscano

quarta-feira, abril 19, 2017

"Olha a Liberdade!" - As 25 Obras Expostas (2) - Mais um texto de Diamantino Lourenço


Conceitos da Liberdade Pouco Poéticos

O sabor da liberdade é o daquele delituoso, na porta da prisão, após cumprimento da longa pena, respirando, enfim livre!...
Perguntemos às aves, aos pássaros que rasgam os céus entre continentes, e aos que se encontram engaiolados, mesmo em gaiolas douradas, qual o valor da liberdade.
E àqueles ancestrais naturais das Américas, do Alaska ao Chile, como era a liberdade antes e depois da chegada dos europeus, na sua sofreguidão pelo ouro.
Também perguntemos aos homens e mulheres, com anos de cárcere no Aljube, Caxias, Peniche, Tarrafal, prisioneiros sem o menor indício de qualquer crime, que só como livres pensadores pensarem de forma diferente dos próceres da Ditadura, os privarem da liberdade.
A todos aqueles políticos que se não cansam de expelirem, até à exaustão, a palavra liberdade para após a subida ao poder a encarcerarem.
A maior expressão da liberdade nos modernos tempos foi o 25 de Abril e o 1º de Maio.
Seguiram-se desmandos em nome dela, mas felizmente por aí continua para os corrigir.


Diamantino Lourenço

terça-feira, abril 18, 2017

"Olha a Liberdade!" - As 25 Obras Expostas (1)


Publicamos hoje os primeiros cinco quadros da exposição, "Olha a Liberdade!" (pela ordem como estão expostos na parede da Sede-Galeria da SCALA).

Informamos que a exposição poderá ser visitada de quarta a sexta, entre as 15 e as 18 horas, na sede da SCALA (rua Conde Ferreira).

segunda-feira, abril 17, 2017

"Olha a Liberdade!" (com o desabafo necessário do "administrador" do blogue...)


Este é o cartaz que devia ter sido colocado aqui na semana passada, antes da inauguração da exposição do passado sábado e que segundo me contaram ao telemóvel, correu bem.

"Olha a Liberdade!" é um título óptimo para tudo, até para o "administrador" deste blogue (Luís Milheiro...) dar a mão a palmatória, em relação a esta exposição (e a outras em que se tem fingido que está tudo bem...), mas apenas se dá mais um passo em frente, na esperança de que as coisas mudem...

Quando na véspera de se montar a exposição (quarta-feira), dos 25 artistas que se tinham comprometido a participar, faltavam três... a solução foi inventar, encontrar alternativas, descobrir artistas em casa, capazes de dizer sim, de um momento para o outro (foi desta forma que nasceu mais um quadro no cartaz inicial, as "Papoilas Livres" da Milena...).

Mas sei que não vou voltar a "inventar", nem tão pouco querer festejar o 25 de Abril com 25 artistas Scalanos...

Ou seja, se tudo tivesse corrido normalmente, este cartaz tinha sido publicado aqui na quinta-feira, antes de me deslocar para fora com a minha família...

quinta-feira, abril 06, 2017

A Inauguração do "Passeio dos Tristes"


Apesar de ser terça-feira, a inauguração da exposição de fotografia, "Passeio dos Tristes", contou com a presença de vários amigos, que além de animarem a sessão, segundo o autor, "exageraram nos elogios", às imagens de Cacilhas, do Ginjal, do Olho de Boi e da Arealva.


Imagens que foram mesmo organizadas em género de passeio, quase sempre com a cumplicidade do Tejo.

(Fotografias de Luís Eme e Mimi)